Feeds:
Posts
Comentários

Archive for dezembro \22\UTC 2009

MOMENTO PRESENTE

Vivo o momento presente, um dia de cada vez.

Não desejo sofrer de véspera, se o amanhã só vem depois de hoje.

Aqui e agora é sacramento. Com muito mais singnificado,

do que dias a fio, é o presente momento.

O momento presente é um presente, quando vivido intensamente.

Quem  se assenta e se aquieta é que sente: Que o presente do momento  é o momento presente.

O momento presente é sacramento. O momento presente é um presente.

Cada dia, cada momento, um presente.

Quando vividos intensamente.

________________________________

Felipe Maia

Read Full Post »

VOCÊ JEJUA?

Ícone de São João Crisóstomo

Você jejua? Dê-me prova disto por suas obras.
Se você vê um homem pobre, tenha piedade dele.
Se você vê um amigo sendo honrado, não o inveje.
Não deixe que somente a sua boca jejue, mas também o olho e o ouvido e o pé e as mãos e todos os membros de nossos corpos.
Que as mãos jejuem, sendo livres de avareza.
Que os pés jejuem, cessando de correr atrás do pecado.
Que os olhos jejuem, disciplinando-os a não fitarem o que é pecaminoso.
Que os ouvidos jejuem, não ouvindo conversas más e fofocas.
Que a boca jejue de palavras vis e de criticismo injusto.
Porque, qual é o proveito se nos abstemos de aves e peixes, mas mordemos e devoramos os nossos irmãos?
Possa Aquele que veio ao mundo para salvar pecadores nos fortalecer para completarmos o jejum com humildade, tendo misericórdia de nós e nos salvando.

_____________________

São João Crisóstomo

Read Full Post »

Em infinda noite não dormida,

Ao som do coração em frangalhos,

Prostei-me no solo de minhas lembranças feridas,

No tricotar de sonhos despedaçados.

No calar gélido de uma  noite escura,

Onde não se sonhava de haver um mínimo clarão,

De repente deixei ao largo, de minh’alma, as agruras,

e fiz silenciar o coração.

E em meio ao calar das mil vozes, na solidão em derredor

gritei, um forte brado: “Meu Deus, Meu Deus! De mim, tenha dó!

E como o barulho de muitas águas, no despencar em queda livre, de íngrime penhasco

pude ouvir: “Meu filho, meu filho. Não temas!

Meu filho, meu filho.  Entrega-me o teu fardo!”

_________________________________

Felipe Maia

Read Full Post »